Daqui a um tempo nao tenho onde comer.

AHRESP avisa, e o consumidor vocifera dividido em contrastes que uns cobram preços elevados, outros que o aumento do IVA não é um problema, mas no fim ficam os gestores da restauração com um problema em mãos para resolver e todos os dias se vê estabelecimentos a fechar, alguns já em situação financeira complicada outros decidem faze-lo antes que isso venha a ser uma realidade.

No EXPRESSO vem uma noticia sobre o problema que o aumento do IVA do primeiro trimestre vai provocar aos estabelecimentos, provocando o encerramento de muitos destes, nos comentários à noticia vê-se literalmente que as pessoas não fazem ideia do que é ter um restaurante ou gerir um e embora a noticia fale do aumento do IVA dando a ideia de que essa é a causa principal do encerramento de muitas destes estabelecimentos este é apenas um dos factores que veio contribuir para este problema.

O que o consumidor se esquece é que muitos estabelecimentos da restauração não ajustaram os preços ao novo IVA porque se o consumo já tem baixado nos últimos anos por baixa no poder de compra por parte do consumidor o aumento dos preços em ajuste directo ao IVA só virá aumentar esse problema, o que o consumidor se esquece é que se os aumentos dos preços reflectisse os aumentos dos custos como a electricidade a água e o gaz, não iriam poder comer refeições económicas que lhes permite alimentarem-se a preços acessíveis durante a semana se os preços reflectissem a perca de clientes pelo facto de que muitos consumidores por esse falta de poder de compra passaram a levar refeição de casa para minimizar o seu custo de vida que tão necessária é, não tomariam café abaixo de 1€.

Vi aqueles comentários e fiquei a pensar em “ingratidão”, afinal de contas quando queremos comer ou simplesmente tomar um café queremos encontrar um estabelecimento de preferência ali perto porque afinal de contas nós não temos tempo a perder somos pessoas muito ocupadas e que temos de ir trabalhar e aí se os funcionários do estabelecimento não estiverem com um sorriso nos lábios preocupados com o facto de que também estes tem que pagar contas ao final do mês, filhos a estudar, em tudo igual a nós que só queremos que nos sirvam um café e se me apetecer água, que esta não seja da torneira, porque afinal de contas o estabelecimento está ali para me dar água de qualidade que lhes custou dinheiro e têm que servir bem e com qualidade o cliente, caso contrário “eu mudo para o do lado” e se por acaso eu hoje estiver mal disposto e não gostar que a chávena do café esteja fria ainda tenho o direito de reclamar com eles, que estão lá (proprietários) muitas vezes 14h de pé para nos servir …. e isto tudo por um café que custou provavelmente 0.70€, “mas afinal estes senhores pensam o quê que eu ando a roubar para pagar o café a este preço”.

Pois parece que afinal o aumento do IVA na restauração é um problema, não é o único realmente mas tem um impacto muito maior até porque o consumidor como eu, as vezes esquece-se que a restauração paga IVA por prestação de serviço e não pelo IVA de compra ou seja se compra um produto com IVA a 6% tem que o vender a 23% não por escolha mas por obrigação, muitos estabelecimentos já começaram a colocar nas contas a separação do valor real de venda e o valor do IVA porque sentem a necessidade de transmitir ao consumidor que o real valor de venda dos produtos, que em muitos sítios se manteve é X e não aquele que pagamos. Quando for ao seu local habitual beber aquele café que continua a pagar a 0.70€ faça a conta e vai ver que “os tais 10%” que tanta gente diz “foram só 10%” está a ser suportado pelo estabelecimento e não pelo consumidor. Mesmo naqueles sítios em que alguns preços subiram para tentar compor um bocado a margem do aumento do IVA não se esqueçam que aquele valor não reflectiu todos os outros aumentos que tem havido.

E por fim não esquecer quem abre um estabelecimento de restauração está ali para ganhar dinheiro e de preferencia muito, por isso é que trabalham o numero de horas que trabalham, por isso é que qualquer um de nós abre negócios ou arranja um trabalho para ganhar dinheiro, de preferencia muito, mas infelizmente quando vejo os comentários que vi na noticia do expresso claramente fico com a certeza de que só olhamos para o nosso umbigo e que roçamos o cumulo da inveja quando pensamos que os outros ganham muito dinheiro.

Estou a ficar preocupado, daqui a um tempo não tenho onde comer.

Advertisements
Com as etiquetas , , , ,

One thought on “Daqui a um tempo nao tenho onde comer.

  1. luiscorujo diz:

    Os números das estatísticas não devem comer, e se o fazem deve ser somente o valor mínimo de calorias necessárias. Aliás perder tempo em comer e ir procurar sítio onde comer diminui a produtividade e por conseguinte a competitividade. De certeza que os números podem comer somente antes e depois da jorna(da) de trabalho. Restaurantes e tascas típicas são coisas para burgueses e turistas. E agora vou comer, que esta conversa deu-me fome… ou vontade de comer.

GRITAR um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: